Moisés Martins

Corpo e Alma


Apodreceu minha alma
faminta de fantasias
sedenta de sonhos
esturricada de ilusões.


Inerte ficou
na estrada do tempo
virou poeira levada pelo vento.
Mas exala cheiro de poesia.


Não deixe sua alma envelhecer
com o corpo!
Alimente-a
com poesias e fantasias
e mesmo ilusões .


Afinal o que é
a vida!



Moisés Martins, poeta de Mato Grosso

Voltar  

Confira também nesta seção:
10.05.21 19h30 » Miguel Jubé
03.05.21 19h00 » Poesias sobre "mãe"
26.04.21 17h14 » José Villa
19.04.21 15h58 » Natasha Tinet
13.04.21 21h06 » Mascha Kaléko
05.04.21 18h47 » Amanda Berenguer
29.03.21 16h14 » Roseana Murray
22.03.21 18h00 » Elke Erb
15.03.21 17h28 » Michel Houellebecq
08.03.21 17h24 » Adalberto Müller
01.03.21 16h27 » Leandro Rabelo Batista
22.02.21 14h00 » Fiama Hasse País Brandão
15.02.21 16h47 » Daniel Osiecki
08.02.21 16h00 » Mauro Iasi
01.02.21 18h00 » Mardson Soares
25.01.21 18h46 » Hilda Machado
18.01.21 16h57 » Yin Lichuan
11.01.21 21h00 » Djalma Passos
04.01.21 22h00 » Manoel Mourivaldo Santiago-Almeida
28.12.20 21h37 » Três poemas evocando a passagem de ano

Agenda Cultural

Veja Mais

Últimas Notícias

Mais Notícias

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:


  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet