José de Mesquita

Cópia ou original


Ter teu retrato assim, corpo inteiro. Querida,
é para mim, a um tempo, alegria e tortura,
— alegria, pois vejo o sol da minha vida,
que, após tão longa ausência, irradia e fulgura;


mas tortura, também, tantálica e doida,
pois que te vendo assim, suave criatura,
— cópia viva do que és, uma rubra ferida
se me abre dentro d´alma, em imensa amargura.


Como quisera ter-te aqui sempre ao meu lado,
dia e noite e poder beijar-te como beijo
tua fotografia, o teu Corpo adorado!


Cansado de sonhar, eu aspiro ao real,
e, no meu louco amor, o eu ora mais desejo
é que me dês, em vez da cópia, o original...



José Barnabé de Mesquita, poeta de Mato Grosso (1892-1961)


Voltar  

Confira também nesta seção:
10.05.21 19h30 » Miguel Jubé
03.05.21 19h00 » Poesias sobre "mãe"
26.04.21 17h14 » José Villa
19.04.21 15h58 » Natasha Tinet
13.04.21 21h06 » Mascha Kaléko
05.04.21 18h47 » Amanda Berenguer
29.03.21 16h14 » Roseana Murray
22.03.21 18h00 » Elke Erb
15.03.21 17h28 » Michel Houellebecq
08.03.21 17h24 » Adalberto Müller
01.03.21 16h27 » Leandro Rabelo Batista
22.02.21 14h00 » Fiama Hasse País Brandão
15.02.21 16h47 » Daniel Osiecki
08.02.21 16h00 » Mauro Iasi
01.02.21 18h00 » Mardson Soares
25.01.21 18h46 » Hilda Machado
18.01.21 16h57 » Yin Lichuan
11.01.21 21h00 » Djalma Passos
04.01.21 22h00 » Manoel Mourivaldo Santiago-Almeida
28.12.20 21h37 » Três poemas evocando a passagem de ano

Agenda Cultural

Veja Mais

Últimas Notícias

Mais Notícias

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:


  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet