VERSO

Adalberto Müller

O tempo do poema*


          para Alcides Villaça

 

lento lento lento

o poema se gesta
canção de
gestos inefáveis

um dia se olha no espelho
e rugas lhe escavam
a face

ninguém o leu
tão a fundo
quanto o

tempo

 

*Poema reproduzido do site http://www.antoniomiranda.com.br/

muller

Adalberto Müller é natural de Ponta Porã (MS) e já morou em cidades brasileiras e alemãs. É doutor em Letras e tem atuado como professor universitário de literatura e cinema. É realizador em cinema, poeta e tradutor. Publicou os livros "Ex officio" (Paris, 1995) e "Enquanto velo teu sono" (7Letras, 2003), entre outros. Seus versos estão presentes em revistas como Coyote, Poesia Sempre e Inimigo Rumor

 


Voltar  

Confira também nesta seção:
26.07.21 19h00 » Beth Brait Alvim
19.07.21 17h22 » Jennifer Trajano
12.07.21 17h00 » Carminha Ferreira
05.07.21 19h08 » María Ángeles Pérez López
28.06.21 18h07 » António Poppe
21.06.21 18h17 » Ana Miranda
14.06.21 18h50 » Nicolas Santos
07.06.21 18h58 » José Pinto
31.05.21 18h58 » Kátia Borges
24.05.21 19h17 » Afonso Henriques Neto
17.05.21 17h05 » Ernst Herbeck
10.05.21 19h30 » Miguel Jubé
03.05.21 19h00 » Poesias sobre "mãe"
26.04.21 17h14 » José Villa
19.04.21 15h58 » Natasha Tinet
13.04.21 21h06 » Mascha Kaléko
05.04.21 18h47 » Amanda Berenguer
29.03.21 16h14 » Roseana Murray
22.03.21 18h00 » Elke Erb
15.03.21 17h28 » Michel Houellebecq

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:


  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet