CURTA-METRAGEM

Olhar crítico sobre efeitos da pandemia



jonas felix

angelus

Júlio Carcará interpreta um artista circense

“Angelus Novus: na boca da noite anuncia a derrocada do Anticristo”. É o curta-metragem de Luiz Borges que vem por aí. A fase de captação de imagens já foi concluída, com a maior parte das cenas sendo gravadas no bairro Aldeia Velha, em Chapada dos Guimarães, na própria residência do cineasta.

Nesse espaço, foram reproduzidos os ambientes do Edifício Palácio do Comércio, em Cuiabá, no centro da cidade. Uma opção mais viável e menos arriscada para estes tempos de pandemia. Na fase final da captação de imagens, a equipe técnica e o elenco desceram pra Cuiabá para gravar as cenas externas no entorno do prédio.

É sobre esse tempo novo e adverso, de crise sanitária, social e econômica, que o filme trata. “Mas além de focar na pandemia, o filme dialoga também com o pensamento do filósofo alemão Walter Benjamin e aspectos urbanísticos de Cuiabá, principalmente ao exaltar seu Centro Histórico e revisitar o prédio que simboliza uma era marcada por obras que ‘modernizaram’ a cidade”, diz Luiz Borges.

O projeto "Angelus Novus" foi aprovado no edital MT Nascentes, realizado pelo Governo de Mato Grosso, via Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT).

jonas felix

angelus

Luiz Borges conversando com a equipe durante as gravações

Impulsionado por um olhar crítico, o curta expõe mudanças culturais e o impacto gerado nas relações pela situação de crise sanitária que realçou mazelas da sociedade. Por meio da ficção, o diretor e roteirista Luiz Borges faz um registro de um tempo permeado por rigorosos protocolos sanitários, tensão psicológica decorrente do isolamento e problemas sociais que foram agravados no período, como o aumento da violência doméstica, preconceito, fome e desemprego.

Com um roteiro conciso e personagens bem caracterizados, compondo tipos diferenciados, a trama se delineia. No elenco estão alguns nomes expressivos do audiovisual e da dramaturgia cuiabana, como Bia Corrêa, Caio Mattoso, Júlio Carcará, Caio Ribeiro, Luiza Lamar e Mariana Badan, entre outros.

Indústria mato-grossense de cinema

Luiz Borges aponta que ao menos 35 profissionais estão diretamente vinculados ao projeto. “Nossa meta é fazer jus à seleção no edital em que obtivemos o primeiro lugar na contagem dos pontos”, se orgulha.

O secretário de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT) Alberto Machado celebra a produção. “A arte retrata o seu tempo. E além da perspectiva cultural, o cinema é fonte de renda para milhares de profissionais. A cadeia produtiva se fortalece e o edital cumpre sua razão de ser, que é a de apoiar profissionais do setor com auxílio financeiro”.

O diretor Luiz Borges é cuiabano e tem grande contribuição à cultura mato-grossense. Pesquisador, escritor e cineasta, também assina 20 edições do Festival de Cinema e Vídeo de Cuiabá, um projeto idealizado por ele na década de 1990.

Ele também é roteirista e diretor do curta-metragem "A Cilada com os Cinco Morenos", que lhe rendeu o prêmio de Melhor Filme no 4º Brazilian Film Festival of Miami, em 2001.

Imagens das gravações e mais informações sobre o filme podem ser conferidas no  Instagram @filmeangelusnovus. (*com assessoria)

jonas felix

angelus

Caio Mattoso na pele do personagem Messias

 


Voltar  

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:


  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet