Sábado, 25 de setembro de 2021, 16h05
BANDA CALOROSA
Estética sonora desafia a classificação

Mirela Duarte*

calorosa

 

Com ritmo quente, como apontam os termômetros da cidade, a banda Calorosa abusa das experimentações e com uma boa dose de humor aliada a acidez, traz letras com manifesto colorista para o EP "Pacu e Pequi", lançado na sexta (24), no youtube e spotify. O projeto foi financiado através da Lei Aldir Blanc, pelo edital municipal de Cuiabá MT. 

A iniciativa reúne músicos dispostos a explorarem os ritmos e o projeto rendeu inúmeras pesquisas, trocas, proposição de ideias e diálogos iniciados em 2020. Em fevereiro deste ano, no entanto, começaram os encontros presenciais, o que permitiu explorar as sonoridades. 

Após horas de ensaios, os integrantes fizeram a criação e composição das músicas, que, por fim, renderam a gravação do EP em estúdio. Para mostrar como foi esse processo de criação, um minidocumentário foi lançado no YouTube, que conta com uma audiodescrição. 

Manifesto Calorista

A maior parte dos integrantes da banda também são músicos que se apresentam nas noites cuiabanas. Augusto Krebs e Karola Nunes assumiram as guitarras, Paulinho Nascimento no contrabaixo, Vinícius Barros na bateria e Bruno el Joe nos sintetizadores e samples. Os vocais são explorados por todos os integrantes da banda. Ainda na gravação do EP foram convidados os músicos Fernando Reis (Sax), Alaécio Martins (Trombone) e Virgílio Ribeiro (Percussão). 

Com a intenção de dar continuidade aos trabalhos, a formação musical também acaba sendo um coletivo aberto para experimentações, convidando compositoras e compositores da cena local para construir coletivamente suas obras dentro desta proposta. 

As principais misturas são rasqueado, lambadão, reggae, eletrônico e bastante apelo ao pop. A Calorosa criou uma linguagem própria, evocando uma estética sonora que desafia a classificação, mas que materializa o momento e a história mato-grossenses.

Como nasceu

O projeto tomou forma com a semente de uma vontade antiga da artista Karola Nunes, que desde o seu disco "Somos Som", em uma faixa que conta com acordes de viola de cocho, quis se aprofundar nas raízes culturais mato-grossenses. "Não era algo próximo da minha realidade, apesar dessa vontade. O mais perto disso que chegamos foi convidar o Abel dos Anjos para tocar a viola de cocho em uma faixa, foi então que resolvi fazer a proposta de fusão sonora, como o reggae e esses outros ritmos", pontua.

A identidade visual é assinada por Hugo Alberto, que explora símbolos tradicionais da cultura cuiabana. A produção musical é coletiva e assinada pelos integrantes da banda. Já a mixagem e masterização é de Wel Ribeiro. 

hugo alberto

calorosa

 


FICHA TÉCNICA

Direção audiovisual, Fotografia, Edição-Finalização: Juliana Segóvia
Captação de áudio e mixagem: Thiago Velloso
Identidade Visual: Hugo Alberto
Produção Executiva: Larissa Sossai
Assessoria de Imprensa: Mirella Duarte
Produção Musical: Calorosa
Guitarra base: Karola Nunes 
Guitarra solo: Augusto Krebs 
Baixo: Paulinho Nascimento
Bateria: Vini Barros 
Samples e Synths: Bruno el Joe 
Arranjo de sopros: Augusto Krebs, Aláecio Martins e Fernando Reis
Trombone: Alaécio Martins 
Sax: Fernando Reis
Percussão: Virgilinho Batukada
Gravação/Mix/Master: Wel Ribeiro
Pitacos e Consultoria de Mix: Paulo Monarco
Projeto aprovado pela Lei Aldir Blanc em Cuiabá, Prefeitura de Cuiabá, Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer. Secretaria Especial da Cultura, Governo Federal. (*da assessoria) 

calorosa

 

 

SERVIÇO

O QUE: Lançamento EP Pacu e Pequi da banda Calorosa
ONDE: Onde: Youtube e Spotify
QUANDO: 24 de setembro (sexta)
INSTAGRAM: @bandacalorosa
YOUTUBE: https://youtu.be/r5owrPn6xYE

 


Fonte: Tyrannus Melancholicus
Visite o website: https://tyrannusmelancholicus.com.br/