Segunda, 16 de agosto de 2021, 20h31
BENEDITO NUNES
Um Tributo ao Mestre do Cerrado

Protásio de Morais/Tyrannus

nunes

Benedito Nunes, artista de versátil e antenado, em seu ateliê

Entre os dias 6 de outubro e 10 de dezembro, em Cuiabá, ocorre a 26ª edição do Salão Jovem Arte, a mais tradicional mostra artística de Mato Grosso. Entre os homenageados está Benedito Nunes, considerado um dos mais importantes artistas plásticos de Mato Grosso, e que contribuiu para que a força pictórica deste pedaço rompesse fronteiras e se tornasse conhecida no Brasil. Nunes, que  faleceu em 2020 após uma parada cardíaca, ganha justa homenagem. 

“Benedito Nunes é um orgulho para todos os mato-grossenses, nosso Van Gogh do Cerrado que agora recebe justa homenagem nesta que é a mais importante vitrine das artes plásticas de Mato Grosso. Será sempre lembrado”, destacou Beto Dois a Um, secretário de Cultura, Esporte e Lazer.

O Salão Jovem Arte deste ano terá exposições em três diferentes locais: na Galeria Lava Pés; no Museu de Artes e Cultura Popular (MACP-UFMT); e no Sesc Arsenal, além da possibilidade de visitação virtual. Em meio a toda essa articulação, a presença de Benedito Nunes enriquece e soma. 

Van Gogh do Cerrado

Detentor de uma técnica apurada, Benedito Nunes ficou conhecido pela produção de obras que retratam a regionalidade, com uma pgada universal. Uma de suas maiores inspirações era o cerrado mato-grossense, mas ele também pintava o cotidiano da cuiabania com maestria, conhecedor que era, de todos os aspectos da cuiabania.

Além de o artista cuiabano ser homenageado na nova edição do Salão Jovem Arte, também é motivo de inspiração para o projeto “Benedito Nunes: Tributo ao Mestre do Cerrado” -  que vai retratar grande parte da caminhada do artista na consolidação de um trabalho de mais de 30 anos. 

Um documentário, um site e oficinas fazem parte de uma série de homenagens que serão dedicadas ao saudoso artista. 

Nunes, além de ser um artista acessível e carismático, era famoso por retratar o cenário mato-grossense. Assim ficou conhecido como o Van Gogh do Cerrado, deixando sua marca na arte brasileira. Um ano após sua morte, o artista ainda é muito bem lembrado pela importância de sua produção cultural e pelo seu grande papel junto à "Geração 80”.     

nunes

Autorretrato do artista que partiu no ano passado

 

O projeto foi idealizado pela artista visual Tânia Pardo, que, por meio do Edital Conexão Mestres da Cultura, da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT), conseguiu “concretizar um sonho”. Ela ressalta a importância de Nunes para a formação de tantos outros artistas mato-grossenses. 

Em muitas de suas viagens por Mato Grosso, Nunes ministrou oficinas na Casa Cuiabana e em vários municípios, tornando-se uma figura que colaborou e incentivou no surgimento de novos talentos, frisou Tânia.  

"Já acompanhava o trabalho dele há muito tempo, mas pessoalmente o conheci em 2014. Sempre nutri uma admiração muito grande pelo artista” relatou Tânia Pardo. 

A técnica utilizada pelo artista plástico remonta a simplicidade e ao quase realismo absoluto, por isto, o foco do projeto é destacar como Nunes desenvolveu suas telas e a sua relação com a natureza e o urbano. Ou seja, o projeto não só valoriza sua obra, como também, enaltece sua contribuição para a formação da cultura mato-grossense, e é isso que o artista sempre buscou: uma arte democrática, e acessível. 

“As atividades serão transmitidas pela internet, e o público será estimulado a criar obras a partir da mesma técnica de pintura com os dedos e com a iconografia de Benedito Nunes”, ressaltou Tânia.  

Além das oficinas e do documentário, haverá também um portal online dedicado a expor as obras do artista.  As obras de Benedito Nunes já foram expostas em mostras coletivas e individuais, com exposições como a do MAM - Museu de Arte Moderna de São Paulo e MAM Rio em 1981, MASP - Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, em 1980 e 1991. Com temas variados, as obras de Nunes passeiam pelo cotidiano urbano e rural, visitam bares, caem na noite, circulam pelo cerrado. (*com assessoria da Secel-MT)

 


Fonte: Tyrannus Melancholicus
Visite o website: https://tyrannusmelancholicus.com.br/