VERSO
Amanda Berenguer


A carta*

 

escrevo uma carta infinita
na parede ambígua do recipiente
que me contém
umas vezes dentro
outra vezes fora
sem levantar a caneta
escrevo uma carta infinita

 

*Reproduzido de http://www.antoniomiranda.com.br/ , com tradução de Antonio Miranda

 

amanda berenguer

A uruguaia Amanda Berenguer (1921 - 2010) foi uma poetisa uruguaia, comumente lembrada como integrante da Geração de 45 , movimento intelectual e literário do uruguai. Ganhadora de diversos prêmios literários em seu país, quatro anos antes de morrer ingressou na Academia Ncional de Letras do Uruguai. Deixou mais de duas dezenas de livros de poesia, escritos entre 1940 e 2005; e também um de prosa, a autobiografia "El monstruo incesante. Expedición de caza", publicado em 1990. Uma ótima entrevista com ela, feita por Floriano Martins, pode ser conferida no link abaixo

https://www.musarara.com.br/poesia-e-viagens-incessantes-da-linguagem


Fonte: Tyrannus Melancholicus
Visite o website: https://tyrannusmelancholicus.com.br/