VERSO
Leandro Rabelo Batista


Filha do silêncio*


Depois de muito amar a noite
O silêncio acordou cedo
Algo em sua vida era novo
Diferente dentro de si
Silenciosamente, vagou pela casa
Era a do coração!
Tentava gritar, não conseguia!
Viajou, sonhou, meditou...
Num esforço quase mortal
Pegou um papel
Uma caneta punhal
Pôs-se a escrever
Aquilo o aliviava
De suas dores... de seus sofrimentos...
Do que guardava!
E como fruto gerado
Do coração ferido
Pela noite que o deixara
Nasce sua filha
Veio chorando e rindo
Chegando para ficar
No alívio do silêncio que fazia
Deu um nome para ela:
POESIA!

 

*Poema enviado pelo autor ao tyrannus

leandro rabelo

Leandro Rabelo Batista é natural de Itacoara e vive em Aperibé (municípios do Rio de Janeiro). É membro vitalício da Academia Aperibeense de Letras, Artes e Ciências.Tem participado de antologias de poesia e publicou o livro "Caminho de Reflexões". É formado em licenciatura plena em letras, e tem cursos de pós-graduações e especializações. Vem atuando como professor de literatura infantil e infantojuvenil e de artes

 


Fonte: Tyrannus Melancholicus
Visite o website: https://tyrannusmelancholicus.com.br/