VERSO

Gustavo Jugend

Um Gato*

Há um gato. Um gato que não há.
De unhas compridas afiadas no estofo das minhas costas.
O gato não há.
Sobe e desce pela minha coxa. Espreguiça-se na minha
barriga e dorme. Ronrona e some. Há um gato.
Acorda amanhã em minha nuca. Retorce o dorso sobre meu
pescoço e me encara.
Há gato. Gato não há.


*Reproduzido de http://www.poesiaprimata.com/

gustavo jugend

Nascido em Curitiba, Gustavo Jugend é mestre em filosofia pela Universidade Federal do Paraná, onde pesquisou a relação entre política e poesia. Também integra sua pesquisa acadêmica a questão da melancolia e da performance pelo viés psicanalítico. Em 2018 lançou seu primeiro livro, "Arabesco" (Editora Urutau), com contos e poemas

 


Voltar  

Confira também nesta seção:
22.09.20 21h00 » Wladimir Cazé
15.09.20 21h00 » Ernesto Manuel de Melo e Castro
08.09.20 20h00 » Martin Jankowski
01.09.20 22h50 » Conceição Evaristo
26.08.20 00h01 » Sousândrade
19.08.20 00h01 » Eduard Traste
12.08.20 00h01 » Carlos Orfeu
05.08.20 00h10 » Emílio Moura
29.07.20 00h01 » Josefina Pla
22.07.20 00h06 » Andréa Catrópa
15.07.20 00h10 » Niels Hav
08.07.20 00h10 » Ian Curtis
01.07.20 00h01 » Max Martins
24.06.20 00h10 » Rachel Ventura Rabello
17.06.20 00h10 » Ruth Maier
10.06.20 00h10 » Amparo Osório
03.06.20 00h10 » Hector de Saint-Denys Garneau
27.05.20 00h10 » Henry David Thoreau
20.05.20 00h01 » Ana Cláudia Romano Ribeiro
13.05.20 10h00 » Ana Guadalupe

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet