VERSO

Gustavo Jugend

Um Gato*

Há um gato. Um gato que não há.
De unhas compridas afiadas no estofo das minhas costas.
O gato não há.
Sobe e desce pela minha coxa. Espreguiça-se na minha
barriga e dorme. Ronrona e some. Há um gato.
Acorda amanhã em minha nuca. Retorce o dorso sobre meu
pescoço e me encara.
Há gato. Gato não há.


*Reproduzido de http://www.poesiaprimata.com/

gustavo jugend

Nascido em Curitiba, Gustavo Jugend é mestre em filosofia pela Universidade Federal do Paraná, onde pesquisou a relação entre política e poesia. Também integra sua pesquisa acadêmica a questão da melancolia e da performance pelo viés psicanalítico. Em 2018 lançou seu primeiro livro, "Arabesco" (Editora Urutau), com contos e poemas

 


Voltar  

Confira também nesta seção:
25.01.21 18h46 » Hilda Machado
18.01.21 16h57 » Yin Lichuan
11.01.21 21h00 » Djalma Passos
04.01.21 22h00 » Manoel Mourivaldo Santiago-Almeida
28.12.20 21h37 » Três poemas evocando a passagem de ano
28.12.20 21h37 » Madson Costa
22.12.20 19h51 » Thiago da Costa Pereira
15.12.20 21h00 » Luiz Alberto Schwab de Mello
08.12.20 18h00 » Bruno Brum
01.12.20 19h18 » Cezário Pereira da Costa
24.11.20 19h00 » Meire Pedroso
17.11.20 17h21 » Marin Sorescu
10.11.20 20h00 » Hagar Peeters
03.11.20 16h30 » Gary Snyder
27.10.20 19h00 » Pádua Fernandes
20.10.20 19h00 » Catarina Lins
13.10.20 19h00 » Akiko Yosano
06.10.20 19h00 » Graça Pires
29.09.20 19h00 » Warsan Shire
22.09.20 21h00 » Wladimir Cazé

Agenda Cultural

Veja Mais

Últimas Notícias

Mais Notícias

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet