VERSO

Gilberto Nable

As meias furadas*

O pai dormindo bêbado
e com as meias furadas:
desolada imagem na memória.

Não lhe ensinaram direito a tabuada,
mas desde muito pequeno aprendeu
a limpar as suas próprias lágrimas.
E é por isso que insiste, persevera,
toma o café da manhã, almoça,
ouve as muitas injúrias, e calado
vai às bancas de jornais: notícias
de um mundo sempre caduco.

Tempo de astrolábios quebrados.

 

*Reproduzido de http://www.algumapoesia.com.br/

gilberto nable

Gilberto Nable (1954) nasceu em Aiuruoca, pequena cidade mineira, onde viveu até adolescente. Formou-se em medicina e atua nessa profissão em Belo Horizonte, mas, também vem praticando seu talento literário através da poesia e de contos

 

 


Voltar  

Confira também nesta seção:
25.01.21 18h46 » Hilda Machado
18.01.21 16h57 » Yin Lichuan
11.01.21 21h00 » Djalma Passos
04.01.21 22h00 » Manoel Mourivaldo Santiago-Almeida
28.12.20 21h37 » Três poemas evocando a passagem de ano
28.12.20 21h37 » Madson Costa
22.12.20 19h51 » Thiago da Costa Pereira
15.12.20 21h00 » Luiz Alberto Schwab de Mello
08.12.20 18h00 » Bruno Brum
01.12.20 19h18 » Cezário Pereira da Costa
24.11.20 19h00 » Meire Pedroso
17.11.20 17h21 » Marin Sorescu
10.11.20 20h00 » Hagar Peeters
03.11.20 16h30 » Gary Snyder
27.10.20 19h00 » Pádua Fernandes
20.10.20 19h00 » Catarina Lins
13.10.20 19h00 » Akiko Yosano
06.10.20 19h00 » Graça Pires
29.09.20 19h00 » Warsan Shire
22.09.20 21h00 » Wladimir Cazé

Agenda Cultural

Veja Mais

Últimas Notícias

Mais Notícias

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet