PELA VIDA

Feminicídio e outras violências na pauta



mulheres

 

A cada dois dias uma mulher é assassinada no Brasil pelo simples fato de ser mulher. Em Mato Grosso, somente no ano passado, pelo menos duas mulheres foram mortas por cada mês em circunstâncias que envolvem violência doméstica, violência sexual e misoginia, ou seja, devido à questão de gênero. Essas mortes se configuram como feminicídio, mas a violência contra a mulher ocorre num leque muito mais amplo, dentro dos aspectos não apenas físicos, como também psicológicos, sexuais, morais e patrimoniais.

É dentro desse contexto que acontecerá nos dias 5 e 6 de março, por ocasião do Dia Internacional da Mulher (8 de março), o I Encontro Mulheres Pela Vida. Vai acontecer no Museu Rondon, na UFMT. É realizado pelo Programa de Pós-graduação em Comunicação (PPGCom/UFMT). Sua concepção e curadoria é da musicista Josi Crispim, que o organiza juntamente com a professora Letícia Capanema, da UFMT, e Renata Cristina dos Santos, servidora do IFMT. 

renata

Renata Cristina dos Santos, do IFMT, responsável pela organização

“O Encontro Mulheres pela Vida objetiva discutir o tema da violência contra mulheres por meio de uma reunião de representantes de grupos e de iniciativas públicas, civis e acadêmicas”, explica Josi Crispim. O evento está inserido em um projeto que pretende informar sobre procedimentos jurídicos e psicológicos em casos de violência, promover a discussão sobre as maneiras como feminicídio é abordado pelos meios de comunicação, refletir sobre o tema nos âmbitos da mulher indígena e da mulher negra. 

“Além disso, o encontro visa constituir-se como espaço de interação e troca de experiências entre a universidade, a sociedade civil e grupos/instituições engajados no tema”, acrescenta a curadora.

“O evento busca ainda criar um espaço de diálogo entre a universidade e a comunidade externa por meio de ações sócio-culturais, como rodas de conversa e apresentações musicais, com a participação de professores, estudantes, artistas e representantes de instituições e grupos envolvidos com o tema”, pontua Josi. Ela destacou a participação da professora Letícia Capanema, que abraçou a ideia inscrevendo o projeto no Programa de Extensão da UFMT.  

Josi lembra que o estado de Mato Grosso conta com diversos grupos de engajamento, iniciativas civis, públicas e acadêmicas que atuam para o combate da violência contra mulheres. “Nesse sentido, o projeto configura-se também com espaço de conexão e troca de experiências entre representantes desses diversos grupos, a universidade e a sociedade civil. Além disso, o projeto proporciona a interação de alunos da UFMT em diversas frentes, como a organização, da divulgação e a realização do evento”, complementa. 

O Encontro Mulheres pela Vida terá rodas de conversa e um show temático. Nas rodas de conversa os temas a serem debatidos são:

“Aspectos jurídicos e psicológicos da violência contra mulheres”, com as convidadas: Dra. Rosana Leite, defensora pública, do Núcleo de Violência Doméstica; Dra. Jozirlethe Magalhães Criveletto, delegada titular da Delegacia da Mulher de Cuiabá; Naryanne Cristina Ramos Souza, vice-presidente da Comissão de Igualdade Racial da OABMT; e Letícia Corrêa Gonçalves, psicóloga e mestranda em Antropologia Social UFMT.

“Violência contra mulheres indígenas e negras”, com as convidadas: Renata Cristina dos Santos, mestre em Antropologia, estudiosa da Sexualidade Chiquitana/IFMT/ALF; professora-doutora Suely Dulce de Castilho, do PPG (Programa Pós-graduação em Educação da UFMT) e coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação Quilombola; a professora-doutora Cândida Soares da Costa, do NEPRE (Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Relações Raciais e Educação); Nalva Maizokaero Ferreira de Souza, médica do DSEI/Cuiabá - Saúde da Mulher indígena-etnia Paresi; Maria Elizandra Lopes Torekureuda, psicóloga e mestranda em Antropologia Social pela UFMT - etnia Bororo.

letícia

Letícia Capanema, professora da UFMT, organizadora do Encontro

Outro tema a ser explorado é “O feminicídio abordado pela mídia”. Em torno dele, será exibido o curta “Quem matou Eloá?”, seguido de discussão, com as convidadas: professora Letícia Capanema, do curso de Cinema e Audiovisual e do PPGCom (UFMT); professora Tamires Coelho, do curso de Jornalismo e do PPGCom (UFMT); professora-mestre Neala Machado, do Departamento de Comunicação/FCA da UFMT; Aline Wendipap, professora e crítica de Cinema e Audiovisual; e Danielle Bertolini, cineasta e idealizadora do Festival de Cinema Tudo sobre Mulheres.

O I Encontro de Mulheres pela Vida terá ainda Show Temático com participação de artistas regionais como Josi Crispim, violonista, cantora, compositora e professora de música; Renata Crizanto, cantora, compositora e poetisa; Deize Águena, cantora; Anne Duarte, cantora; Seven Mônica, cantora; e Hend, cantora.

Parceiros e apoiadores

São parceiros na realização do encontro o PPGAS (Programa de Pós-graduação em Antropologia Social), PPGCom (Programa de Pós-graduação em Comunicação) e o  Museu Rondon de Etnologia e Arqueologia, da UFMT; e mais a Escola de Música Josi Crispim.

São apoiadores do evento as empresas Bell Som Sonorização, Teodoro & Caldeira Paineis, Claudia Oliveira Designer de Interiores e Milton Martins - Advocacia.

PROGRAMAÇÃO

Local: auditório do Museu Rondon – UFMT

Dia 05/03 (quinta-feira)
18h: Abertura: Josi Crispim, com apresentação musical de boas-vindas
18h30 às 20h: Roda de conversa “Aspectos jurídicos e psicológicos da violência contra mulheres”
20h às 21h30: Roda de conversa “ Violência contra mulheres indígenas e negras”

Dia 06/03 (sexta-feira)
18h: Abertura: Carol Brandalise, com apresentação musical de boas-vindas
18h30: Exibição do curta “Quem matou Eloá?” (Lívia Perez, 2015, 24 minutos) 
19h às 20h30: Roda de conversa “O feminicídio abordado pela mídia”
20h30 às 22h: Show de encerramento

O evento é aberto e gratuito. Toda a sociedade está convidada a participar. As inscrições devem ser feitas através do link https://forms.gle/rEsx1XsH2kQq14fD8 . Os participantes vão receber certificados. Mais informações com Josi Crispim (99210-7535), Letícia Capanema (99285-1025) e  Renata Cristina dos Santos (99224-4918). (*com assessoria)

josi

A musicista Josi Crispim, que concebeu o evento e faz a curadoria

              

 


Voltar  

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet