Luciene Carvalho


Preguiça


O sono bate nos olhos,
o corpo bate na rede,
varanda de Cuiabá.
Em cada poro o calor,
a boca guarda o sabor
do almoço curimbatá.
Balança a rede e o dia,
enquanto a tarde anuncia
a noite que vai chegar...
Melhor programa
que o meu olho já viu
é antes de ir jantar,
ver o sol morrer no rio.


Luciene Carvalho, poeta de Mato Grosso

Fonte: Tyrannus Melancholicus
Visite o website: http://tyrannusmelancholicus.com.br/