Lucinda Persona


Pratos de Sopa


Os pratos de sopa
fumegavam
servidos à família
Uma concha de sopa
em cada prato
regulava nossas vidas
nem antes
nem depois do crepúsculo
Nesse horário
num ligeiro abrir e fechar de porta
ou num pisca de olhos
uma sombra entrava na casa
uma sombra entrava na carne
Complicando um pouco as coisas
escuridão e carne eram uma só coisa

(dormíamos)

            O sono igual matérias
            que completamente diferem.


Lucinda Persona, poeta de Mato Grosso

Fonte: Tyrannus Melancholicus
Visite o website: http://tyrannusmelancholicus.com.br/