VERSO
Djalma Passos


Poema*

 

Venho de longe descalço e triste
Pelas estradas
Caminhando nas noites
Como um viajor soturno e sem destino.

Não trago veste sobre o meu corpo,
Venho confundido com a natureza
Tonto de luz e de cor...

Na caminhada imensa e sem rumo
Tudo perdi,
Tudo ficou na solidão da poeira dos caminhos percorridos,
Menos este bastão inglório
Que continua me guiando como uma estrela,
Como uma luz,
Uma esperança.

 

*Reproduzido de http://www.antoniomiranda.com.br/

djalma passos

Djalma Vieira Passos (1923-1990) nasceu no interior do Amazonas, no município de Boca do Acre. Foi escritor, poeta, jornalista, advogado, policial militar e político. Foi editor do Jornal do Comércio, do Amazonas. Dedicou-se também ao estudo da vida e obra de Joaquim Nabuco. Publicou os livros "Poemas do tempo perdido" (1949), "As vozes amargas" (1952), "Tempo a distância" (1955), "Bazar de angústias" (1972), "Ocupação da Amazônia e outros problemas" (1974)


Fonte: Tyrannus Melancholicus
Visite o website: http://tyrannusmelancholicus.com.br/