POESIA
Carlos Barbosa


Cena de rua*


À moda de Manuel Bandeira
dez horas da manhã

um homem arrasta-se na calçada
em frente ao prédio da reitoria
de cócoras

defeca

limpa-se com a mão direita
que esfrega em seguida numa poça d’água

no instante seguinte
o sinal abre para os carros
que fecham a cortina
do breve humano espetáculo

 

*Reproduzido de http://www.antoniomiranda.com.br

 

Carlos Barbosa, poeta brasileiro


Fonte: Tyrannus Melancholicus
Visite o website: http://tyrannusmelancholicus.com.br/