ROMANCE (TRECHO)

Ulisses*



"...que ele estava morrendo por ela por nunca ver tua cara de novo mas ele parecia mais como um homem com a barba um pouco crescida na cama meu pai era a mesma coisa além disso eu odeio fazer curativos e dar remedinhos quando ele cortou o dedo do pé com a navalha aparando os calos ficou com medo de ficar com o sangue envenenado mas se era eu que ficasse doente a gente ia ver qual era a atenção só que a mulher esconde para não dar toda a trabalheira sim ele veio de algum lugar estou certa pelo seu apetite de todos os modos não é amor senão ele ficava de longe pensando nela mas nem tampouco era uma dessas mulheres por aí da noite se foi lá que ele esteve realmente e a história do hotel que ele contou é uma montanha de mentiras para esconder a marosca do Hynes com quem me encontrei me reteve ah sim eu encontrei você se lembra o Menton e quem mais deixa eu pensar aquele cara de bebê que eu vi ele não fazia muito de casado namorando uma mocinha no Miriorama Pooles e eu virei as costas para ele quando ele se escafedeu com ar muito embaraçado de que que tem mas ele teve o topete de engraçar comigo uma vez bem feito pra ele cara de conquistador com seu olho de peixe frito de todos os estuporados que já conheci e tudo isso só porque é chamado de solicitador pois eu odeio ter discussão na cama ou então se não foi isso foi alguma galinha por aí que ele levou sabe onde ou alguma escondidinha que arranjou se ao menos elas soubessem dele o quanto eu sei sim porque no dia de anteontem ele estava rabiscando uma coisa assim como uma carta quando eu entrei no quarto de frente procurando fósforos para mostrar a morte do Dignam como se alguma coisa me dissesse de fazer e ele cobriu a coisa com o mata-borrão fingindo ser negócio pois muito provavelmente era para alguém que pensa que ela vai ter nele uma boa isca pois todos os homens ficam um pouco assim principalmente na idade dele entrando pelos quarenta pois ele está agora de ser engabelado com todo o dinheiro que ela possa irar dele não tem bobo como bobo velho e então seu beijo de sempre no meu traseiro..."

 

*Pequeno trecho de um dos capítulos do romance "Ulisses", reproduzido de edição da Abril Cultural (1983), com tradução de Antônio Houaiss

domínio público

joyce

James Augustine Aloysius Joyce (1882-1941) nasceu na Irlanda e deixou inestimável legado literário. Foi romancista, contista e poeta. A Wikipédia registra que ele ele é ao mesmo tempo um dos mais cosmopolitas e um dos mais particularistas dos autores modernistas de língua inglesa


Voltar  

Confira também nesta seção:
08.03.21 17h24 » Seleta de frases e pensamentos*
08.03.21 17h24 » Ave, Maria (José)*
01.03.21 16h27 » O preço do silêncio
01.03.21 16h27 » O estranho vírus de Eduardo Mahon
01.03.21 16h27 » Gatinha exibicionista
22.02.21 14h00 » A filosofia do Mendes*
22.02.21 14h00 » Seleção de frases*
15.02.21 16h47 » Um bilhete para Leonard Cohen*
15.02.21 16h47 » Ulisses*
12.02.21 23h45 » Silêncio na pista
08.02.21 16h00 » Seleção de frases*
08.02.21 16h00 » Por uma clave de sol!*
01.02.21 18h00 » Serotonina (trecho de romance)
01.02.21 18h00 » Tio Galileu*
25.01.21 18h46 » A máscara do meu rosto*
25.01.21 18h46 » Cair e levantar
20.01.21 18h07 » Dobra do tempo
18.01.21 16h57 » Morte em Pleno Verão e Lá é Sempre Verão*
18.01.21 16h57 » Frases de "A Divina Comédia"*
11.01.21 21h00 » Mas que Nojo é esse!

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:


  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet