ARTIGO ACADÊMICO

"Filhos da Lua na Terra do Sol"



albino

 

Na edição de 2020 do veículo virtual “Cinema & Território - Revista Internacional de Arte e Antropologia das Imagens”, da Universidade da Madeira (Portugal), um artigo acadêmico inédito, escrito por dois professores da UFMT, ganhou publicação.

A revista integra o circuito de universidades europeias e publicou texto dos professores da UFMT, Renata Costa e Ney Arruda. Ao final desta matéria a identificação de ambos. 

O artigo em pauta refere-se ao curta-metragem : “Filhos da Lua na Terra do Sol” (2016), ganhador de inúmeros prêmios, dirigido pela cineasta atuante em Mato Grosso, Danielle Bertolini. Ela aborda questão do albinismo no cinema, tratando de forma poética a relação entre pessoas albinas sob o causticante sol de Cuiabá, considerada uma das cidades mais quentes do Brasil. 

Sob o título do artigo: “E... se Bazin e Lefebvre se encontrassem com Freud numa sessão de cinema? Anotações para estudo de caso do albinismo na grande tela”, foram feitos esforços para se analisar buscando o debate contrário a imitação, acerca de uma parcela da sociedade brasileira que tem um grau de esquecimento e alguns efeitos estigmatizantes engendrados na cultura fílmica mundial.

Passeia, principalmente, pela abordagem dessas três personalidades das artes e do conhecimento: o filósofo urbanista e antropólogo francês Henri Lefebvre (1901-1991), o crítico de cinema da escola francesa André Bazin (1918-1958) e o neurologista alemão e pai da psicanálise, Sigmund Freud (1865-1939). O estudo de Ney e Renata também se ampara em outros pesquisadores de correntes científicas afins, mencionando inúmeras e equivocadas narrativas fílmicas que também trouxeram o albinismo em seu contexto.

Para Ney Arruda, “Filhos da Lua na Terra do Sol” pode ser considerado um marco específico da filmografia crítica brasileira. “Foi uma alegria muito grande enaltecer a UFMT, principalmente neste ano de 2020 tão difícil para a Humanidade, em que celebramos os 30 anos da Faculdade de Comunicação de nossa querida universidade. Isso, de modo inclusivo, a partir do reconhecimento do fantástico trabalho da diretora Bertolini”, explica Ney.

albino

 

“Se pararmos para refletir um pouco, o legítimo cinéfilo vai recordar de algum filme que tenha assistido na TV ou nas melhores salas de sua cidade. Onde lá estava um personagem albino sendo retratado maliciosamente pela indústria do cinema com algum traço de desvio, por vezes, até maléfico de personalidade. Ou alguma característica caricata para demarcar o ridículo, o contrassenso, como se o albinismo fosse uma deformidade repugnante. Esse é o momento em que a grande tela abre espaço para  reproduzir estereótipos culturais em busca de consolidar o lucro imediatizado, isto é, fácil e rápido. Parcela expressiva da indústria cultural na sétima arte de forma irresponsável parece regozijar-se em reproduzir o estigma em séries para a televisão e filmes, por vezes de gosto absolutamente duvidoso”. O tyrannus destaca este trecho do artigo, onde os autores fazem uma crítica incisiva e necessária em torno de deslizes da indústria do cinema.

Em contraponto a esse tratamento questionável, em relação ao albinismo, outro trecho do artigo destaca: “Bertolini efetuou um agir comunicativo a partir de seu olhar fílmico procurando vivenciar o sofrimento de pessoas albinas numa cidade cada vez mais inóspita. Cuja estrutura urbanística, não tem desenvolvido ao longo das últimas décadas, a preservação e manutenção de cinturões verdes de árvores em suas principais ruas de bairros. Nem ao longo do crescente número de sua malha asfáltica de avenidas e vias expressas. Acarretando, desse modo, um acréscimo progressivo e impressionante da temperatura local no entorno metropolitano”.

albino

 

A Revista

A Revista lusa “Cinema & Território” da Universidade da Madeira tem nesta edição artigos de pesquisadores de Madri, Valéncia, Santiago de Compostela, Coimbra, Brasília, Maranhão, entre outros, além do texto dos professores da UFMT. O artigo dos dois está disponível gratuitamente no endereço eletrônico: https://ct-journal.uma.pt/ .

Os autores do artigo

-Prof.ª Dr.ª Renata Costa (Departamento de Psicologia)

-Prof. Dr. Ney Arruda (Faculdade de Direito), que também leciona na Faculdade de Comunicação e Artes da UFMT, onde ministra a disciplina “Estética Crítica & Trilha Cinematográfica”, no no Curso de Cinema.

 

OBSERVAÇÃO: o curta que motivou o artigo já foi reportado inúmeras vezes no tyrannus e os textos podem ser acessados no espaço busca do site


Voltar  
2 Comentrio(s).
também acho... e o curta soube explorar essa situação de forma delicada, respeitando as diferenças, conforme tem que ser... obrigado por participar do tyrannus isis
enviada por: lorenzo    Data: 20/12/2020 21:09:36
Eu gostei muito da matéria sobre o albinismo, aqui em Cuiabá existem muitos e realmente precisam sair de casa com proteção e Cuiabá, apesar de ser conhecida como a cidade verde, não é muito arborizada. Parabéns.
enviada por: Isis Marimon    Data: 20/12/2020 16:04:31

Confira também nesta seção:

Agenda Cultural

Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet