NOVA EDIÇÃO

Senado Federal vai publicar



dunga

Dunga Rodrigues foi professora, historiadora, musicista, jornalista, ficcionista e agente cultural

Mais uma bela notícia para as letras mato-grossenses. Para 2021 está assegurada a publicação do romance "Marphysa", da cuiabana Dunga Rodrigues (1908-2002). A edição chegará ao público por iniciativa do Senado Federal, através de articulação do senador Wellington Fagundes (MT). 

O senador de Mato Grosso atendeu e defendeu a reivindicação, reforçada pelo Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários da Unemat, que encaminhou parecer a Wellington, expondo os motivos da publicação. O parecer do PPGEL/Unemat foi assinado pela coordenadora Walnice Vilalva. 

O escritor e ativista cultural Eduardo Mahon também intercedeu junto ao senador. "Agradeço a atenção dispensada a mim e à memória da escritora. Espero um grande lançamento em 2021, tanto no Senado Federal, como em Cuiabá. Claro, com direito a recital!", publicou Mahon nesta terça (01/09) em seu instagram.

Em 2019 Maria Elizabete Nascimento de Oliveira, professora em Cáceres (MT), teve sua tese de doutorado "Dunga Rodrigues: uma jornalista no território da ficção" aprovada na Unemat. Pra escrever, ela se baseou em crônicas escritas por Dunga e também no romance "Marphysa", da autora. 

Ao associar os escritos de Dunga, Elizabete enfatiza a atenção dispensada ao modus vivendi dos habitantes da cidade de Cuiabá e a vida sociocultural e política na capital do estado de Mato Grosso em outros tempos. "Feito o levantamento dos dados de análise destas crônicas, detivemo-nos, também, nas linhas de diálogo detectáveis entre elas e o romance Marphysa porque era nossa intenção demonstrar que a elaborada e particular construção narrativa ficcional deste romance não se limitava a um simples 'alinhavado' de uma 'rabiscadora de linhas', como afirma a autora no início da obra. Procuramos então demonstrar, a partir de elementos presentes tanto nas crônicas, quanto em Marphysa, que este romance é uma autêntica representação ficcional da estrutura sociocultural e política do seu tempo na região Centro-Oeste, construída com extremo cuidado e competência", assinala a professora da Unemat. 

A obra já teve edições anteriores, pela UFMT, e integrou a Coleção Obras Raras de Mato Grosso, lançada pela AML. "Marphysa" também já foi alvo de texto de Hilda Gomes Dutra Magalhães, grande estudiosa das letras mato-grossenses. É o primeiro romance escrito por uma mulher em Mato Grosso e vem muito a calhar o lançamento de uma nova edição, nestes anos em que a mulher vem galgando e conquistando um espaço mais justo e de acordo, no cenário das artes, neste caso, especificamente, na literatura.  

Maria Benedita Deschamps Rodrigues, conhecida como Dunga Rodrigues, foi professora, historiadora, musicista, jornalista, ficcionista e agente cultural. Para saber mais sobre a autora recomendo o link abaixo.

https://www.almanaquecuiaba.com.br/artigo/dunga-rodrigues

 

 


Voltar  

Confira também nesta seção:

Agenda Cultural

Veja Mais

Últimas Notícias

Mais Notícias

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet