VERSO

Emílio Moura

Os que se foram*


Pouco a pouco vou compreendendo esta verdade tão
simples:
Agora é que realmente existem
os que se foram.
Só agora é que todos eles se movimentam
livres, imensamente livres.
Só agora é que falam
o que sempre calaram e era precisamente o que me
levaria
à única verdade que traziam.
Saem de velhos retratos, ou de ressuscitadas palavras
soltas,
e caminham comigo que os não sabia tão transparentes
e comunicativos
tão lógicos,
tão completos.
Completos e definitivos.


*Reproduzido de https://www.escritas.org/

emilio moura

O mineiro Emílio Guimarães Moura (1902-1971) foi um poeta modernista, integrante do grupo de modernistas mineiros que ajudaram a revolucionar a literatura brasileira na década de 1920. Foi redator de cadernos literários de períódicos como Diário de Minas, Estado de Minas e A Tribuna de Minas Gerais. Foi também professor universitário. Em 1970, conquistou o Prêmio de Poesia do Instituto Nacional do Livro

 

 

 


Voltar  

Confira também nesta seção:

Agenda Cultural

  • Em Breve:
  • Live `Salve d Pantanal'
  • Dia: 24 de setembro
  • Local: redes sociais do Cine Teatro Cuiabá
  • Informações: no link
Veja Mais

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet