HERIVELTO E DALVA

"Eu não posso lembrar que te amei"



dalva

Cantores e instrumentistas com aquele talento todo vão reviver a trajetória artística de famoso casal da música brasileira

O público cuiabano terá nova  chance de apreciar na sexta-feira (27) o show "Eu não posso lembrar que te amei", com repertório composto por músicas famosas do cancioneiro popular do Brasil. Um resgate musical e literário que percorre as tumultuadas carreiras artísticas do casal Dalva de Oliveira (1917-1972) e Herivelto Martins (1912-1992). 

A iniciativa é da Revista Pixé e o espetáculo acontece em auditório na rua Estevão de Mendonça, 1650, bairro Morada do Sol, a partir das 19h30. O auditório não comporta grande número de pessoas, o que significa que adquiri os ingressos antecipadamente é a melhor garantia de presenciar o show. As reservas devem ser feitas através dos telefones  3621-4555 e 3621-2624.

Vários músicos atuantes nos cenários cuiabano e mato-grossense participam. Presença confirmada dos cantores Gilberto Nasser, Rita Cássia, Kael Nasser e Deize Águena. A cantoria será acompanhada por instrumentistas descolados como Carlos Inácio, Pedro Trauer e Juliane Grisólia. 

A criação e o roteiro são do escritor e advogado Eduardo Mahon, que também será o comentarista e contador de histórias durante o espetáculo, “batendo bola” com os cantores. A cantora Deize Àguena também assina a produção do espetáculo, que tem direção artística e arranjos musicais de Gilberto Nasser. 

dalv

Na estreia do espetáculo, em agosto, o público lotou o auditório e, conforme a imagem, não resta dúvida que foi uma noite especial

Repeteco

"Eu não posso lembrar que te amei", o nome do show, foi retirado de famosa canção que integra o repertório. Esta é a segunda vez que vai à cena. A primeira apresentação, em agosto, foi um tremendo sucesso. O auditório ficou lotado e lugares extras foram improvisados às pressas para comportar o público, mas mesmo assim, muita gente ficou de fora e pediu aos produtores que o show fosse reprisado. 

A repercussão foi excelente e as pessoas ficaram encantadas com o repertório e o formato bem intimista do espetáculo que envolveu o público com músicas e histórias da vida incrível de Dalva e Herivelto. Foi uma noite marcante, que certamente merecia bis.

Mais sobre o espetáculo

Há uns 40 anos ou mais, o país era sacodido com a maior briga de amor, explicitada através das ondas do rádio, jornais, revistas e da iniciante televisão. A maior estrela da música brasileira, a cantora Dalva de Oliveira e o grande compositor Herivelto Martins não mediram esforços e dores para compartilhar com seus fãs as mazelas de um casamento desfeito. Um enredo dramático com toques de tragédia foi perpetuado e gravado em discos de vinil, que até hoje estão por aí, dando testemunho dessa fulminante história de amor que teve seu final no início da década de 70 com a morte de Dalva de Oliveira. Calava-se ali a rainha do rádio e, na opinião de muitos, aquela que foi a maior cantora do Brasil de todos os tempos.

A triste história dessa briga tem outro lado curioso que rendeu muito dinheiro às gravadoras da época e um sucesso estrondoso para a carreira de Dalva. Herivelto veio em segundo plano, preterido pelo público que julgou e condenou o compositor por ter trocado Dalva por Lourdes, uma aeromoça desquitada, com quem viveu até seus últimos dias. Para ela, Herivelto deixou uma bela declaração em música, gravada por Nélson Gonçalves: “Eu amanheço pensando em ti, eu anoiteço pensando em ti, eu não te esqueço, é dia e noite pensando em ti.”

dalva

Uma interação perfeita entre artistas e público, num espetáculo intimista

Essa é apenas uma das inúmeras canções que embalaram essa briga de famosos na primeira metade do século passado. Já no prenúncio da separação, Herivelto comporia e a própria Dalva gravaria “Caminhemos”, que inicia assim: “Não, eu não posso lembrar que te amei. Não, eu preciso esquecer que sofri”, e também a música “Segredos”, onde o compositor, ironicamente, obriga Dalva a cantar uma crítica a ela mesma: “Seu mal é comentar o passado. Ninguém precisa saber o que houve entre nós. O peixe é pro fundo das redes, segredo é pra quatro paredes. Não deixe que males pequeninos venham transformar os nossos destinos.”

E assim, essa briga musical segue gerando sucessos e ressentimentos profundos: “Errei sim, manchei o teu nome”; “Tudo acabado entre nós, já não há mais nada”; “Que será da minha vida sem o teu amor, da minha boca sem os beijos teus, da minha alma sem o teu calor?”; “Atiraste uma pedra no peito de quem só te fez tanto bem.”

Tempos depois, Dalva pediu paz e hasteou “Bandeira branca”, mas já era tarde demais. Ela estava de partida e nem ouviu Herivelto cantar: “Não falem dessa mulher perto de mim.” Porém, para você que ficou curioso e perdeu o primeiro show, agora é a hora de se programar e convidar os amigos para apreciar o repeteco deste espetáculo único e inusitado, onde certamente não faltarão motivos para se emocionar e divertir. Fica aqui o nosso convite para matar saudades e embarcar nesta viagem musical pelo Brasil do samba-canção, da Rádio Nacional e ver que “estão voltando as flores.” (*com assessoria)

dalva

Dalva e Herivelto, no milênio passado

 

SERVIÇO

O QUE: Show de MPB “Eu não posso lembrar que te amei”
QUANDO:  sexta-feira (27), às 19h30
ONDE: Rua Estevão de Mendonça, 1650 / Morada do Sol
QUANTO: 50 reais
RESERVAS ANTECIPADAS: telefones 3621-4555 e 3621-2624
WHATSAPP: (65) 9 9975-0671


Voltar  

Confira também nesta seção:

Agenda Cultural

Veja Mais

Últimas Notícias

Mais Notícias

Newsletter

Preencha o formulário abaixo para receber nossa newsletter:

  • Nome:

  • Email:

  • assinar

  • cancelar


Copyright © 2012 Tyrannus Melancholicus - Todos os direitos reservadosTrinix Internet